sexta-feira, 19 de março de 2010

In Memoriam de Eugênia de Oliveira

Poema Homenagem

Casa da Mãe

Para Eugênia de Oliveira Correa Leite, In Memoriam, 13.03.10


Ir para casa e não ver a Mãe
É não estar em casa.
Ir para Itararé e não estar com a Mãe
É não estar em mim.
Ir para a Mãe e a Mãe não estar lá
Já é quase morrer.

Porque a casa e a Mãe se completam
Uma está em outra para assim muito bem estarmos em nós
E não encontrando a Mãe em casa
Podemos também não nos encontrarmos nunca mais.

Porque a casa-mãe-Itararé
É tudo uma soma de estarmos em nós mesmos
E da Mãe estar na casa e a casa ser a Mãe
Onde quer que a Mãe esteja.

Talvez, também, por isso é
A Casa, a Mãe, tudo - Itararé
Parte de nós. Como lágrimas no céu; como uma Igreja.

-0-

Silas Correa Leite, Poetinha da Estância Boêmia de Itararé-SP
E-mail: poesilas@terra.com.br
Site: www.itarare.com.br/silas.htm
Blogues: www.portas-lapsos.zip.net
www.campodetrigocomcorvos.zip.net

Um comentário:

Marcio disse...

Olá Silas,

Te descubro no cronópios quando vejo o vídeo da peça da Vera Helena Rossi. Visito seu blog me emociono com este comovente poema e lendo a excelente resenha do livro da Vera helena me lembro que já somos velhos companheiros do site overmundo. Rsrsrsrs. E muito feliz fico. Parabéns pela trajetória literária e cultural. Gostaria de convidá-lo a visitar http://emaranhadorufiniano.blogspot.com e http://po-de-poesia.blogspot.com ler os poemas, seguir-los e postr seus valiosíssimos comentários.

Um grande abraço.

Marcio Rufino.